Redes sociais: saiba qual a mais indicada para seu negócio - Alphabrand
Redes Sociais: Qual a mais indicada para cada tipo de negócio?
Por Alphabrand em 24 de setembro de 2019 | Redes Sociais

Redes sociais: saiba qual a mais indicada para seu negócio

Início » Blog » Redes Sociais » Redes sociais: saiba qual a mais indicada para seu negócio

No mundo dos negócios, a importância de se comunicar não apenas com o próprio público-alvo, mas também com formadores de opinião, e até mesmo com a sociedade de modo geral, sempre foi um elemento presente. Com o advento das redes sociais, isso se tornou ainda mais verdadeiro e urgente.

Como sempre, o importante é cada empresário saber lançar mão do que está ao seu alcance, sem perder tempo. Hoje, a influência e o poder das redes sociais podem colocá-lo no melhor dos cenários, pois tais estratégias são acessíveis a qualquer empreendedor.

Quando se fala em “redes sociais para empreendedores”, usa-se uma simples expressão. Na verdade, não existem muitas redes exclusivamente corporativas, com exceção do LinkedIn (e outras menores), que veremos abaixo.

A maioria delas é aberta a todo tipo de público. Aliás, esta é a melhor parte: o alcance das estratégias se torna ainda mais abrangente, e permite encontrar o cliente a qualquer momento do dia, mesmo quando ele não está em momento ou situação de compra.

Por outro lado, é preciso cuidado, justamente para que essa exposição não acabe banalizando sua marca, suas estratégias de marketing e o seu discurso, o que acabaria trazendo o efeito contrário ao desejado.

Portanto, se você quer entender tudo sobre as melhores redes sociais do momento, e quais as vantagens que cada uma delas pode trazer ao seu negócio, acompanhe!

A grande revolução causada pela internet

O mundo dos negócios é o mundo da audiência. Sempre foi assim, mas até pouco tempo atrás somente as grandes corporações que vendem internacionalmente, ou que lidam com artigos como carros executivos de luxo e produtos afins, tinham meios para dominar canais consagrados como a televisão aberta ou a cabo.

Hoje, não é segredo para ninguém que um youtuber (usuário do YouTube, site de que trataremos abaixo) pode abrir seu canal, nesta que é a maior plataforma de compartilhamento de vídeos do mundo, e chegar a ter mais audiência que uma emissora de televisão.

As vantagens que isso traz para os médios e pequenos negócios são enormes. Naturalmente, uma academia regional que presta serviços como aula de forró, axé e demais estilos populares, tem acesso total às redes sociais, de modo que se souber gerar conteúdos de qualidade estará em uma situação bem melhor que a de alguns anos atrás.

Além do mais, as redes sociais que trataremos exploram desde networking, passando por vídeos e textos, até fotos e imagens. Então, vamos entender como encaixar cada uma dessas mídias nos mais variados perfis:

Por que usar redes sociais para pessoas jurídicas?

Ao contrário do que muita gente pensa, o LinkedIn não é importante apenas para quem está procurando oportunidades como autônomo ou assalariado, mas também para empresas e pessoas jurídicas.

De fato, o seu foco é mais profissional, porém, a oportunidade que isso abre vai muito além de algo como um simples “currículo digital”: trata-se da chance de fazer networking. Especialmente quando se tem o caso de alguns negócios/segmentos que encontram no próprio mundo corporativo o seu público-alvo.

Tal como uma empresa de coworking, que faz locação de salas hora, entre outras tendências de compartilhamento de espaços. Naturalmente, ao figurar em uma rede social dessas, ela estará expandindo sua rede de contatos na direção mais acertada possível.

Apesar de o LinkedIn já dominar o mercado atual, hoje ele encontra algumas concorrências que também podem interessar, tais como:

  • Bebee;
  • Bayt;
  • Viadeo;
  • Xing, etc.

Já não é incomum ver, nessas redes sociais corporativas, algumas marcas grandes manterem atualizações diárias de suas páginas. Assim, nada impede o empresário menor de gerar boas postagens e atingir uma dessas gigantes, conseguindo clientes que provavelmente não o encontrariam fora das plataformas.

Plataforma de compartilhamento de vídeo

Como dito acima, as redes sociais de compartilhamento de vídeos são especialmente atraentes por concorrerem diretamente com aquela que durante muito tempo reinou absoluta em termos de entretenimento e audiência: a televisão.

A grande vantagem desses sites é a versatilidade. Ao contrário da televisão, aqui o cliente é quem manda e quem interage com a ferramenta de modo bastante livre e descontraído, por meio de menus e de uma acessibilidade inexistente, no caso dos televisores.

Assim, a empresa pode explorar vários formatos de vídeo, tais como:

  • Depoimentos de clientes;
  • Making of sobre lançamentos;
  • Vídeos institucionais;
  • Making of sobre a linha de produção;
  • Participação em feiras e eventos;
  • Participação em premiações.

Obviamente, neste caso, até mesmo as grandes corporações saíram na vantagem, pois seria impossível veicular todo esse tipo de vídeo-comunicação por meio da televisão. Ainda assim, o mais interessante de tudo isso continua sendo o acesso democratizado e universal.

Uma pequena empresa que trabalhe na área de confecção e têxtil, por exemplo, com algo específico, como estamparia digital em tecidos, pode lançar mão desse tipo de plataforma, mostrar o dia a dia da oficina, o resultado final de vários pedidos reais, a satisfação dos clientes e muito mais, e tudo com um custo baixíssimo.

Neste caso, outra grande vantagem é poder trazer o cliente para a realidade do seu negócio, tornando um produto que poderia parecer distante como algo possível de ser consumido. Com isso, alguém que nunca tivesse pensado na solução, pode desenvolver o interesse, graças à plataforma de compartilhamento de vídeo.

Uma dica importante é investir na parte técnica de filmagem, mas sobretudo no conteúdo. Para tanto, basta que você escreva os roteiros de cada vídeo. E, se preciso, treine antes de gravar. Quando atingir o tom exato, certamente o resultado será bem mais que um simples improviso.

Hoje, alguns dos sites mais conhecidos que prestam o serviço são, além do YouTube, o Vimeo, o Dailymotion, o Vevo e o Metacafe, entre outros.

Dicas para profissionalizar o seu Facebook

Além das plataformas corporativas e de vídeo, existem as marcas que se tornaram praticamente um sinônimo de rede social, como o Facebook e o Instagram. No primeiro caso, trata-se da rede que tem o maior número de pessoas conectadas no mundo, número que ultrapassa os dois bilhões de usuários ativos.

Embora os vídeos mais profissionais também demandem texto (script), como vimos acima, aqui o elemento “escrita” é ainda mais importante. Obviamente que não são poucas as empresas que contratam redatores publicitários apenas para cuidarem dessa parte. Por exemplo, uma empresa que vende uma máquina para contar dinheiro precisa de um bom texto de divulgação para alcançar o seu público alvo.

Mas, se sua empresa está em estágio embrionário e faltar budget (orçamento) para isso, há duas possibilidades: a primeira é contratar freelancers que podem preparar algumas campanhas, com as quais você se manteria por um tempo.

E a outra dica é você mesmo produzir o texto, mas redobrando sua atenção, e com a ajuda de um revisor de textos. Para tanto, em vez de escrever direto na caixa de postagem do site, abra documentos em seu computador e vá escrevendo, treinando e guardando textos que talvez só serão publicados depois de algumas semanas.

A linguagem dos posts pode variar entre formal e informal, a depender do seu público-alvo. Mas em todos os casos é preciso que haja correção e clareza no texto, sob o risco de o cliente perder a confiança. Neste caso, mesmo que seus preços e serviços sejam bons, você pode acabar perdendo oportunidades devido a uma questão técnica.

É óbvio que tal ponto é fundamental para casos em que você trabalhe com gráficas ou comunicação visual, como na venda de panfletos, flyers, banner promocional e demais soluções da área, que lidam diretamente com o português. Mas também é válido para os demais segmentos, pois transmite segurança e idoneidade perante o público em geral.

Em todo caso, também há aqui concorrentes, talvez para quem queira treinar o formato e ainda não se sinta preparado (embora esses outros sites também sejam bons em si mesmos e valham a pena):

  • Ello;
  • Hi5;
  • Skoob;
  • Hello;
  • Vero.

Como lidar com redes de fotografia/imagem?

Toda a importância que se dá ao script no caso do YouTube, e aos textos no caso do Facebook, equivale à importância da qualidade das fotos no caso do Instagram.

Como é sabido, essa rede social e as similares que concorrem com ela priorizam a fotografia. Assim, cada postagem precisa ter no mínimo uma foto e o espaço para textos é reduzido, tudo de modo que o aspecto visual esteja sempre em destaque.

Naturalmente, algumas pessoas já trabalharam com agências, com câmeras ou mesmo com impressão de fotos, o que já daria alguma noção sobre como lidar com as noções primárias a respeito do assunto.

O mais indicado para quem nunca teve nenhuma experiência é que a princípio a pessoa entre em sites que veiculam imagens livres de direitos autorais, nos quais é possível encontrar figuras de praticamente todos os segmentos, indo de tecnologia, saúde e beleza até aviões, fretamento de onibus, transporte marítimo e afins.

Em todos esses casos, o mais importante é transmitir a mesma sensação de profissionalismo e idoneidade explorada nos tópicos anteriores.

Finalmente, após essas dicas sobre sites que exploram networking, vídeos, textos, fotos e imagens, é hora de você finalmente pôr a mão na massa e, por meio das redes sociais, mudar o seu negócio de patamar!

Gostou deste contúedo? Compartilhe!